quarta-feira, 30 de março de 2016

ÓTICA DO JOGO BRASIL 2 X 2 PARAGUAY ELIMINATÓRIAS DA COPA


Apesar do gostinho de vitória, em termos de classificação o resultado não ajudou muito. O Brasil encerra a rodada na sexta posição, portanto fora da zona de classificação, com  apenas nove pontos - mesma pontuação do Paraguai, que fica em sétimo. A situação desconfortável dura pelo menos até setembro, quando o time volta a campo pelas Eliminatórias. Antes disso, porém, a Seleção terá a Copa América e os Jogos Olímpicos pela frente.
O Jogo
Os primeiros 45 minutos no Defensores del Chaco foram para apagar da memória. Criando muito pouco e sendo facilmente envolvida pela movimentação paraguaia, a Seleção contou com dois milagres do goleiro Alisson para evitar um desastre. Aos 17, o arqueiro do Internacional se esticou todo para espalmar, no cantinho, uma cabeçada de Aguilar. Pouco depois, mais uma defesaça, esta à queima-roupa numa finalização de Gomez de dentro da pequena área.
Aos 40, porém, não houve nada que ele pudesse fazer quando Ortigoza descolou um passe para Edgar Benítez nas costas de Daniel Alves. O paraguaio cruzou, Roque Santa Cruz deixou passar e Lezcano fechou, encobrindo Alisson com uma batida caprichada: 1 a 0. As melhores chances do time de Dunga surgiram dos pés de Willian: primeiro com jogada individual, logo aos 4 minutos, terminando em uma batida por cima, e, depois, aos 27, num passe perfeito para Ricardo Oliveira carimbar o travessão.
Ainda melhor no começo do segundo tempo, o Paraguai ampliou a vantagem logo aos 4 minutos. Roque Santa Cruz passou no meio de três marcadores e rolou para Ortiz cruzar para Edgar Benítez. Dentro da pequena área, ele matou a bola já ajeitando e completou na saída de Alisson: 2 a 0. Mais acomodado, o Paraguai passou a dar mais campo para o Brasil, que, apesar do espaço, seguiu perdido, sem conseguir agredir o adversário.
Até que, aos 34 minutos, Villar ajudou a colocar fogo na partida ao rebater para o meio da área um chute de Hulk. Rircardo Oliveira se antecipou ao marcador e descontou: 2 a 1. A partir daí, a Seleção foi só pressão. Aos 46, Daniel Alves fez grande jogada pela direita, invadiu a grande área e bateu no cantinho do goleiro paraguaio: 2 a 2 e um empate heróico. E foi por pouco que o Brasil não conseguiu a virada, no último minuto, com Filipe Luís e Jonas, mas Villar e, depois, o zagueiro Paulo Silva conseguiram evitar o terceiro gol.

Nenhum comentário: